Postado em 26 de Dezembro de 2013 às 14h59

China deve crescer 7,6% em 2013, diz relatório do governo

  • SCL Consultoria e Negócios Internacionais -

SÃO PAULO - A economia chinesa deve crescer 7,6% em 2013, ligeiramente abaixo dos 7,7% registrados em 2012, de acordo com relatório do Conselho de Estado do país divulgado pela agência de notícias oficial Xinhua.
O documento se refere à avaliação do 12º plano quinquenal do país, relativo ao intervalo 2011-2015 e foi apresentado pelo Gabinete na reunião semestral da Comissão permanente do Congresso Nacional do Povo. O governo avalia que o crescimento econômico tem sido maior do que o esperado desde 2011, embora haja uma tendência de diminuição.
O plano quinquenal fixou uma meta de crescimento econômico anual de 7% entre 2011 e 2015. No primeiro ano, a expansão foi de 9,3%. Em 2012, de 7,7% e, na primeira metade de 2013, de 7,6%.
"Não podemos negar uma pressão de queda no crescimento econômico, disse aos congressistas Xu Shaoshi, ministro encarregado da Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reformas. Ele acrescentou que existem incertezas sobre a recuperação econômica global e que os mercados internacionais não estão com a demanda aquecida. Dentro da China, ele citou, os maiores custos trabalhistas e ambientais criam desafios para o padrão tradicional de crescimento.
Outros obstáculos listados pelo ministro foram o aumento dos riscos na dívida pública e o excesso de capacidade instaladas, que resultaram de investimentos desenfreados do governo em projetos industriais. O grande investimento em projetos de infra-estrutura de baixa lucratividade, indústrias com excesso de capacidade e projetos imobiliários reduziu a liquidez e a eficiência, disse Xu.
O relatório também elencou outros desafios, incluindo a reestruturação econômica lenta, o agravamento da poluição e conflitos sociais entre grupos de interesses diferentes.
O Conselho de Estado disse que a solução é uma reforma abrangente em vários setores, para aproveitar o papel decisivo do mercado na alocação de recursos e para melhorar o desempenho do governo.
Para evitar grandes flutuações econômicas, a China promete aumentar ainda mais a flexibilidade das taxas de juro e coordenar as políticas fiscal, industrial, monetária, ambiental e de uso da terra, diz o relatório, e lidar cuidadosamente com a dívida pública, assegurando as necessidades razoáveis de liquidez.
O governo vai continuar a cortar o excesso de capacidade em setores como aço, cimento, alumínio eletrolítico, vidro e construção naval e parar a expansão dos grandes consumidores de energia e grandes poluidores.
Para equilibrar o desenvolvimento das regiões , o governo prometeu trabalhar para remover as barreiras de mercado dentro do país e reformar os serviços públicos que estão vinculados ao registro do local de residência.

© 2000 – 2013. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.

Leia mais em:

http://www.valor.com.br/internacional/3379814/china-deve-crescer-76-em-2013-diz-relatorio-do-governo#ixzz2oaMfNCJw

Veja também

China aprova importação de milho do Brasil08/04/14 Gigante asiático está tentando diversificar suas fontes de grãos. EUA continuam, contudo, sendo o maior vendedor de milho para o país. As autoridades da China autorizaram nesta terça-feira as importações de milho procedentes do Brasil, após ambos os países terem assinado um protocolo de requisitos fitossanitários para o comércio do......
OMC desbloqueia Rodada de Doha na conferência de Bali09/12/13 Bangcoc - A Organização Mundial do Comércio (OMC) conseguiu desbloquear a Rodada de Doha, paralisada desde 2008, com um acordo alcançado neste sábado na ilha de Bali, na Indonésia, que vai permitir avanços na......
Avicultura espera semestre melhor para compensar ano morno 08/07/14 São Paulo- A indústria de aves do Brasil dependerá de um bom desempenho no segundo semestre para atingir suas projeções de crescimento para 2014, depois de um primeiro semestre marcado por um consumo mais moderado que o......

Voltar para Blog (en)