Postado em 30 de Abril de 2014 às 15h28

MDIC simplificará utilização do drawback

SCL Consultoria e Negócios Internacionais Novo Conteúdo 01 Rio de Janeiro-RJ (29 de abril) – “Durante abertura do Seminário de Operações de Comércio Exterior, realizado hoje, na sede da...

Rio de Janeiro-RJ (29 de abril) – “Durante abertura do Seminário de Operações de Comércio Exterior, realizado hoje, na sede da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), o diretor do Departamento de Operações de Comércio Exterior (Decex) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Renato Agostinho, anunciou duas medidas de simplificação para a utilização do regime drawback, que permite a desoneração de tributos nas importações ou compras domésticas de insumos usados na fabricação de produtos exportados.
A primeira é o lançamento de um sistema eletrônico para o processamento do drawback isenção, mecanismo aplicado na reposição de insumos que foram anteriormente utilizados na produção de bens já exportados. “Esta é a última operação, relacionada ao Decex, que é feita ainda por papel. Com o lançamento do sistema, no segundo semestre deste ano, poremos fim ao uso do papel e todas as operações serão realizadas de forma digital”, disse o diretor. No ano passado, US$ 8 bilhões foram exportados ao amparo do regime drawback isenção.
Outra medida prevista para breve é a edição de uma portaria conjunta da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do MDIC com a Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB) do Ministério da Fazenda, que tratará da questão da fungibilidade das mercadorias relacionadas à concessão de drawback. “Esta medida é importante para eliminar a necessidade de segregação nos estoques dos insumos pelo exportador, o que representa hoje um custo que pode ser dispensado com regras mais claras para a administração do regime”, explicou Agostinho.
O diretor informou ainda que, atualmente, 80% das anuências às exportações brasileiras são realizadas automaticamente, sem a necessidade de análises adicionais, o que permite prazos expeditos nas operações. Ele também comentou sobre os benefícios previstos com o lançamento do Portal Único de Comércio Exterior, anunciado na semana passada. Para Agostinho, o portal representa “uma nova fase para as operações comerciais e foi elaborado segundo as demandas do setor privado brasileiro” afirmou.
Este ano, a Secex organizou uma agenda mensal de Seminários de Operações de Comércio Exterior em diversas capitais brasileiras. Nos eventos, são realizadas palestras sobre temas de interesse dos operadores comerciais, como: controle administrativo, licenças de importação e regimes de drawback. Além das palestras, são realizados despachos executivos, com atendimentos a casos específicos sobre operações de drawback, contingenciamento, similaridade e importação de material usado. Estes atendimentos devem ser agendados com antecedência.”

fonte : http://www.mdic.gov.br/sitio/interna/noticia.php?area=5¬icia=13134

Veja também

Missão Leva Empresas Para Panamá e República Dominicana20/10/15RODADAS DE NEGÓCIOS FOCAM SETORES COM OPORTUNIDADES DE EXPORTAÇÃO PARA ESSES MERCADOS Organizada pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), a Missão Empresarial à América Latina e Caribe promoverá encontros de negócios entre 39 empresas brasileiras e compradores do Panamá e República Dominicana, de 26 a 30 de outubro. Os setores participantes são Alimentos e Bebidas, Casa e......
FEIRA INTERNACIONAL - LAS VEGAS - MARÇO 201420/03/14          Aconteceu na data de 04 a 08 março, 2014 a feira CONEXPO-CON/AGG e IFPE 2014 em Las Vegas- Nevada – EUA. Com mais de 210 mil metros quadrados de exibição, 2,4 mil empresas expositoras e um......
África do Sul reabre mercado para carne suína brasileira, diz ABPA05/11/14 Por Luiz Henrique Mendes | Valor /04/11/2014 às 15h08 SÃO PAULO - Quase dez anos após proibir as compras de carne suína produzida no Brasil, a África do Sul reabriu seu mercado para o produto, informou hoje a......

Voltar para Blog (en)