Postado em 05 de Novembro de 2014 às 15h20

África do Sul reabre mercado para carne suína brasileira, diz ABPA

SCL Consultoria e Negócios Internacionais Novo Conteúdo 01 Por Luiz Henrique Mendes | Valor /04/11/2014 às 15h08 SÃO PAULO - Quase dez anos após proibir as compras de carne suína produzida no Brasil, a...

Por Luiz Henrique Mendes | Valor /04/11/2014 às 15h08

SÃO PAULO - Quase dez anos após proibir as compras de carne suína produzida no Brasil, a África do Sul reabriu seu mercado para o produto, informou hoje a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), que representa a indústria de carne de frango e suína do país.

De acordo com a ABPA, os sul-africanos proibiram as compras de carne suína brasileira em 2005, após o Brasil registrar focos de febre aftosa nos Estados do Paraná e Mato Grosso do Sul. Agora, a expectativa da entidade é retomar os embarques “em breve”.

Em comunicado à imprensa, a ABPA informou que, em 2005, as exportações brasileiras de carne suína para a África do Sul totalizaram 625 mil toneladas, ou 2,9% do total. Naquele ano, os africanos eram o quarto maior comprador da carne suína brasileira.

FONTE:http://www.valor.com.br/agro/3766064/africa-do-sul-reabre-mercado-para-carne-suina-brasileira-diz-abpa#ixzz3ICdladuc



 

Veja também

12.1.2015 - Produção de grãos deve aumentar e chegar a 202 milhões de toneladas, diz Conab (Agência Brasil)12/01/15 A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou no dia (9) balanço da produção de grãos no Brasil. De acordo com os dados, o país deve produzir, na safra 2014/2015, 202,18 milhões de toneladas. O número representa aumento de 4,5% com relação à última safra. A previsão também cresceu em relação à......
De olho nas negociações de Mercosul e União Européia03/01/14 “O Brasil corre o risco de perder mais mercados para seus produtos agrícolas e agroindustriais na Europa caso o acordo de livre comércio entre o Mercosul e a União Europeia não seja fechado. A avaliação é......
Receita reduz tempo para liberar exportações06/11/13 Segundo a Receita, as mudanças farão o tempo médio de desembaraço das exportações cair de 3,19 dias para 2,12 dias. Brasília – A partir de hoje (5), as mercadorias vendidas para o exterior......

Voltar para Blog (es)