Postado em 12 de Maio de 2014 às 09h11

Soja é o produto mais exportado pelas cooperativas no trimestre

SCL Consultoria e Negócios Internacionais Novo Conteúdo 01 Brasília (9 de maio) – As exportações das cooperativas brasileiras somaram US$ 1,396 bilhões, de janeiro a março de 2014, e houve...

Brasília (9 de maio) – As exportações das cooperativas brasileiras somaram US$ 1,396 bilhões, de janeiro a março de 2014, e houve redução de 5,9% sobre igual período de 2013 (US$ 1,485 bilhão). No período, as importações deste segmento tiveram expansão de 27,4% e passaram de US$ 78 milhões, em janeiro a março de 2013, para US$ 100 milhões neste ano.
Com esses resultados, a balança comercial registrou saldo positivo de US$ 1,296 bilhão, valor abaixo em 7,8% ao observado no mesmo período de 2013, quando atingiu US$ 1,406 bilhão. A corrente de comércio (soma das exportações e importações) foi de US$ 1,497 bilhão, com queda de 4,3% em relação aos três primeiros meses de 2013 (US$ 1,563 bilhão).
Mercados e Produtos
O setor exportou, até março, US$ 277,8 milhões para o mercado chinês, o que representa 19,9% do total das vendas internacionais. Na sequência, aparecem os mercados de Alemanha (US$ 126,1 milhões, 9%); Emirados Árabes Unidos (US$ 113,7 milhões, 8,1%); Estados Unidos (US$ 93,8 milhões, 6,7%); e Arábia Saudita (US$ 61 milhões, 4,4%).
O produto mais comercializado pelo segmento, em valor, no período, foi a soja em grão, com vendas de US$ 263,5 milhões, representando 18,9% do total exportado pelas cooperativas. No período do ano passado, as vendas de soja representavam apenas 2,4% (US$ 33,8 milhões,) e o produto era o décimo primeiro no ranking dos bens mais comercializados. Neste ano, a sequência dos produtos mais vendidos é formada por açúcar refinado (US$ 208,9 milhões, 15,0%); carne de frango (US$ 197,9 milhões, 14,2%); açúcar em bruto (US$ 196,9 milhões, 14,1%); e farelo de soja (US$ 134,2 milhões, 9,6%).
O Paraná foi o estado com maior valor de exportações de cooperativas, de US$ 475,7 milhões, representando 34,1% do total das vendas do segmento. Em seguida aparecem: São Paulo (US$ 440,3 milhões, 31,5%); Santa Catarina (US$ 124,7 milhões, 8,9%); Minas Gerais (US$ 124,5 milhões, 8,9%); e Mato Grosso do Sul (US$ 95,2 milhões, 6,8%).
Em relação às importações, as principais origens das aquisições das cooperativas, no trimestre, foram: Argentina (compras de US$ 30,2 milhões, representando 30,2% do total); Estados Unidos (US$ 12 milhões, 12%); Paraguai (US$ 9,3 milhões, 9,3%); Países Baixos (US$ 8,7 milhões, 8,7%); e Suécia (US$ 5,2 milhões, 5,2%).
Os produtos mais adquiridos pelo setor cooperativista brasileiro, no período, foram cevada cervejeira (com compras de US$ 21,5 milhões, representando 21,3% do total importado pelas cooperativas); malte não torrado, inteiro ou partido (US$ 20,7 milhões, 20,6%); etanol (US$ 8,5 milhões, 8,5%); cloretos de potássio (US$ 4,8 milhões, 4,8%); milho em grão (US$ 4,5 milhões, 4,5%).
O estado que mais importou no período foi o Paraná, com compras de US$ US$ 71,5 milhões, representando 71,3% do total das importações deste segmento. Em seguida aparecem: São Paulo (US$ 16,7 milhões, 16,7%); Santa Catarina (US$ 6,4 milhões, 6,4%); Rio Grande do Sul (US$ 3,9 milhões, 3,9%); e Mato Grosso do Sul (US$ 620,8 mil, 0,6%).

fonte : http://www.mdic.gov.br/sitio/interna/noticia.php?area=5¬icia=13161

Veja também

Mais bens de capital têm tarifa de importação reduzida09/12/13 A nova alíquota incidente sobre os produtos será de 2% e valerá durante todo o ano de 2014. Brasília - A Câmara de Comércio Exterior (Camex) publicou nesta segunda-feira, 9, no Diário Oficial da União (DOU) resolução que reduz o imposto de importação de mais de 100 bens de capital, todos na condição de......
Produtores de frutas buscam mercado no exterior06/01/14 AGÊNCIA DE NOTÍCIAS BRASIL- ÁRABE “Um grupo com 12 empresas vai buscar mais mercado internacional para as frutas brasileiras em fevereiro. Elas participam da Fruit Logistica, uma das maiores feiras para frutas in natura do mundo,......
Kerry pede para Europa não misturar espionagem e comércio06/11/13 Secretário de Estado pediu a europeus para que não deixem escândalo dificultar negociações comerciais entre a União Europeia e os Estados Unidos. Varsóvia - O secretário de Estado americano, John......

Voltar para Blog (es)