Blog

Postado em 02 de Abril de 2015 às 12h45

Brasil e Angola assinam Acordo de Cooperação e Facilitação de Investimentos (ACFI)

Exportação (39)Importação (25)
SCL Consultoria e Negócios Internacionais Novo Conteúdo 01 Brasília (1º de abril) - O Secretário de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Daniel...

Brasília (1º de abril) - O Secretário de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Daniel Godinho, participou nesta quarta-feira, dia 1º de abril, em Luanda, da assinatura do Acordo de Cooperação e Facilitação de Investimentos (ACFI) entre Brasil e Angola. O acordo foi assinado pelo ministro das Relações Exteriores do Brasil, Mauro Vieira, e o ministro das Relações Exteriores de Angola, Georges Chikoti.

O acordo é o segundo assinado pelo Brasil com um parceiro africano esta semana, já que na segunda-feira, dia 30 de março, o Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, assinou o ACFI com o governo de Moçambique.

Segundo o Secretário de Comércio Exterior, Daniel Godinho, "Angola é um parceiro importante para o Brasil, o que pode ser verificado pelo crescente fluxo de comércio e investimentos entre os dois países. A assinatura do ACFI impulsionará tanto os investimentos de empresas brasileiras em Angola, como de empresas Angolanas no Brasil”.

O novo acordo, elaborado pelo MDIC em parceria com o Ministério das Relações Exteriores (MRE), com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), com a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e com o setor privado, atende necessidades específicas dos investidores brasileiros, respeitando o espaço regulatório dos países receptores de investimentos, e tendo como base de sustentação: governança institucional, agendas temáticas para cooperação e facilitação dos investimentos e mecanismos para mitigação de riscos e prevenção de controvérsias.

Entre os principais elementos do novo acordo está a nomeação de um ombudsman, que terá a função de responder a dúvidas, queixas e expectativas dos investidores. Além disso, será criado um comitê conjunto, com representantes governamentais dos dois países, para monitorar a implementação do acordo, o compartilhamento de oportunidades de investimentos e, sobretudo, a atuação conjunta para a prevenção de controvérsias e solução amigável de eventuais disputas. Também haverá a criação de mecanismo de prevenção de controvérsias e a definição de agendas de cooperação e facilitação de investimentos.

Em 2014, o fluxo de comércio exterior entre Brasil e Angola foi de US$ 2,37 bilhões, com exportações de US$ 1,26 bilhão e importação de US$ 1,11 bilhão.

fonte : http://www.mdic.gov.br/sitio/interna/noticia.php?area=5&noticia=13688

Veja também

PIS/PASEP E COFINS - IMPORTAÇÃO - MAJORAÇÃO DE ALÍQUOTAS 04/02/15 A Medida Provisória nº 668, publicada em Edição Extra no DOU de 30/01/2015, altera a Lei nº 10.865/2004, prevendo a majoração das alíquotas do PIS/Pasep-importação e da Cofins-importação, com vigência a partir de 01/05/2015. A majoração ocorre para a maioria das alíquotas mencionadas no art. 8º da......
BRASIL VAI AMPLIAR DEFESA COMERCIAL30/07/14 O governo prepara uma reforma nos instrumentos de defesa comercial para apertar o cerco contra importações desleais e atender às novas demandas da indústria após o reconhecimento do status da China como "economia de......
O dólar baixou! É a hora ideal para importar?14/01/19 Com a valorização do real e desvalorização do dólar, inicia-se um burburinho sobre o momento ideal para realizar importações. E, então? Qual é o melhor momento? Devo começar......

Voltar para Blog (pt)