Blog

Postado em 15 de Agosto de 2014 às 11h33

Exportações levam a China a superávit recorde em 12 meses

Exportação (35)Importação (23)
SCL Consultoria e Negócios Internacionais Novo Conteúdo 01 8/8/2014 14:24 Por Redação, com Xinhua - de Pequim. As exportações saltaram em julho 14,5% ante o ano anterior, ritmo mais rápido em 15...

8/8/2014 14:24
Por Redação, com Xinhua - de Pequim.

As exportações saltaram em julho 14,5% ante o ano anterior, ritmo mais rápido em 15 meses.

As exportações da China impulsionaram o superávit comercial da China para um recorde em julho, alimentando o otimismo de que a demanda global ajudará a conter a pressão sobre a economia doméstica do enfraquecimento do setor imobiliário. Embora a indústria pareça ter acelerado na segunda maior economia do mundo, uma fraqueza inesperada no setor de serviços nesta semana renovou as preocupações sobre o crescimento. O fraco mercado imobiliário continua sendo o maior risco da China, sendo um peso sobre a economia como um todo e a confiança do investidor.
As exportações saltaram em julho 14,5% ante o ano anterior, ritmo mais rápido em 15 meses, informou nesta sexta-feira a Administração Geral de Alfândega, dobrando ante 7,2% em junho e superando as expectativas do mercado. As exportações foram mais fortes do que o esperado mesmo após contabilizados dados de exportação inflados no início de 2013, quando empresas falsificaram faturas para driblar controles de capital.
Alguns analistas atribuíram o salto das exportações a embarques atrasados devido à recente volatilidade do iuan que pode não se sustentar. Ao mesmo tempo, as importações caíram 1,6% contra uma alta de 5,5% em junho, deixando o país com superávit comercial recorde de US$ 47,3 bilhões para o mês.
– Os dados (de exportação) indicam demanda externa bastante forte e menor necessidade de uma moeda fraca. Entretanto, as importações caíram 1,6% na base anual, indicando fraca demanda doméstica e pressão para baixo sobre o crescimento. As autoridades devem dar mais suporte à economia doméstica – disse Dariusz Kowalczyk, economista sênior do Credit Agricole.
Pesquisa da agência inglesa de notícias Reuters projetava alta de 7,5% nas exportações, aumento de 3% nas importações e superávit comercial de US$ 27 bilhões.
Mais soja
Na ponta das importações, a China, líder global na compra de soja, comprou 7,47 milhões de toneladas do grão em julho, alta de 17% ante junho e excedeu previsão oficial, mostraram números da Administração Geral de Alfândega da China. O Ministério do Comércio estimou no início desta semana que as importações devem cair para 3,84 milhões de toneladas em agosto, com estoques agora em uma alta de 10 meses.
As compras julho superaram os 6,39 milhões de toneladas de junho e foram maiores do que a previsão do Ministério do Comércio, de 5,87 milhões de toneladas.
O Centro de Informação de Grãos e Oleaginosas da China, um instituto apoiado pelo governo, disse que os estoques domésticos de soja importada atingiram 6,3 milhões de toneladas no início de agosto, alta de 300 mil toneladas em apenas uma semana e seu nível mais alto desde setembro do ano passado.
A China, que importa mais de dois terços da soja negociada globalmente, tem comprado volumes recordes nos últimos meses, com o volume em alta de 24,4%, para 34,2 milhões de toneladas no primeiro semestre do ano.
Os aumentos vieram apesar de um declínio nas margens de esmagamento domésticas. Analistas disseram que os processadores de soja chineses têm tido perdas desde o segundo trimestre.
As margens de esmagamento devem melhorar um pouco no terceiro trimestre deste ano com uma recuperação sazonal da demanda em meio a feriados prolongados e a queda recente dos preços da soja, segundo analistas chineses.
As importações de óleos vegetais em julho somaram 650 mil toneladas, um aumento de 22,6% em relação ao mês anterior, mostraram os dados aduaneiros.

fonte:http://correiodobrasil.com.br/economia-4/exportacoes-levam-a-china-a-superavit-recorde-em-12-meses/721329/

Veja também

Avicultura espera semestre melhor para compensar ano morno 08/07/14 São Paulo- A indústria de aves do Brasil dependerá de um bom desempenho no segundo semestre para atingir suas projeções de crescimento para 2014, depois de um primeiro semestre marcado por um consumo mais moderado que o inicialmente previsto, disseram analistas e especialistas. O aumento das exportações no semestre foi inferior a 1 por cento, ante previsão......
Secex revisa antidumping a importações de eletrodos07/04/14 Por Luci Ribeiro A Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Secex/MDIC) decidiu iniciar revisão de direito antidumping aplicado às importações......

Voltar para Blog (pt)